A arte de liderar líderes

Atualizado: Jul 21

“Felipe, como é que você consegue fazer tudo isso lá das cavernas? ”, perguntou bem-humorado um amigo, CEO de um dos maiores grupos turísticos brasileiro, enquanto almoçávamos em um restaurante japonês de São Paulo.


Ele se referia ao fato de eu ter criado a ADIT e me tornado uma liderança dos mercados imobiliário e turístico brasileiro mesmo trabalhando todos os dias na Barra de São Miguel, uma pequena cidade turística com 6.000 habitantes e a 40 minutos de Maceió, de onde sou nativo e onde desenvolvi o ILOA Resort.


Sinceramente tudo sempre pareceu tão natural que eu nunca tinha pensado na enormidade da conquista de ter criado do zero uma entidade com atuação nacional e internacional a partir não só de Maceió, mas da Barra de São Miguel, que era onde eu realmente passava os dias.


Mas o desafio não era só geográfico. Outro grande desafio foi unir tantas pessoas e empresas com interesses diferentes e onde todos eram caciques, já que cada membro da ADIT era líder em suas empresas.


Lembro bem quando tive a idéia de criar a ADIT e as pessoas diziam que seria impossível unir os estados do Nordeste. A ação entre eles era descoordenada e todos procuravam captar investidores europeus afirmando que eram melhores do que os demais.


Para colocar ainda mais tempero nesse caldo, eu sempre fui um dos menores empresários não só na ADIT, mas em outras entidades que presidi, como a ADEMI/AL. Na ADIT esse contraste era ainda muito maior, com inúmeras empresas gigantes como associadas.


Desde então tenho refletido sobre o que leva alguém a conseguir liderar líderes, em especial quando essa pessoa não tem a liderança natural de ser a pessoa mais poderosa política e economicamente.


Hoje eu vou falar sobre isso, sobre os motivos que entendo terem feito eu conseguir me tornar líder de líderes. Como não haviam livros ensinando como fazer isso, acabei acertando pela intuição, mas espero que as minhas lições possam ajudar outras pessoas não só a se tornar líderes, mas também líderes de líderes.


E para começar quero ser muito enfático de que qualquer um pode se tornar líder. Falo isso com a autoridade de quem sempre foi muito tímido e nunca teve nenhuma liderança entre amigos e colegas durante a infância e adolescência. É o famoso “Se eu posso, qualquer um pode. ”


Também é fundamental enfatizar que a liderança é realmente situacional e acontece de acordo com as habilidades de cada pessoa. Por maior que seja a minha liderança institucional, na minha empresa sem sombra de dúvidas a liderança mais respeitada e admirada é a minha esposa, grande gestora, firme nas decisões, educada, justa e com grande capacidade operacional.


Antes de começar a falar das minhas dicas, acho necessário conceituar a liderança da maneira com a vejo. Para mim, a liderança é a habilidade de levar outras pessoas a agir de determinada maneira. Não existe líder sem seguidor, e obviamente que essa liderança não é legítima se for baseada na coerção ou na imposição de uma posição.

Um líder influencia as pessoas e essa influência faz com que ele obtenha poder. A maneira como que ele lida com esse poder adquirido pode fazer com que ele aumente ou perca sua liderança com o passar do tempo.


Existem duas bases para a liderança: a confiança e a defesa do interesse. Alguém só segue um líder se confiar nele e se entender que ele está defendo o seu interesse. Pode parecer óbvio, mas muitos líderes esquecem disso e desenvolvem uma agenda própria.

A coisa toda fica anda mais complicada quando a gente fala de liderar líderes, e explico abaixo o porquê:


· Geralmente os líderes são mais inteligentes, talentosos, ricos e poderosos.


· O líder de líderes tem autoridade limitada sobre os liderados.


· Os líderes têm várias opções em outros lugares, o que dá um senso de independência

.

· As grandes empresas geralmente conseguem defender sozinhas seus interesses e as entidades muitas vezes precisam mais delas do que elas das entidades.


· Os líderes têm seus próprios seguidores e interesses, cuja lealdade é importante para eles.


· Líderes não se veem como seguidores, mas como líderes que são e assim querem ser tratados.


· Por se acharem especiais, muitos acham que merecem privilégios e benefícios.


· A comunicação com outros líderes precisa ser diferente, mais pessoal e de construção de confiança.

Tendo contextualizado, vou dividir com vocês os meus aprendizados e as minhas dicas sobre liderança.


Existe uma regra número na liderança de líderes, especialmente quando se fala de entidades, mas que se aplica a qualquer outro ambiente: “Quem a gente quer, não quer. Quem a gente não quer, quer. ” Geralmente as pessoas mais preparadas para exercer a liderança são muito ocupadas com seus próprios negócios e não têm tempo, interesse ou necessidade. Por outro lado, muitas pessoas que não estão prontas, que querem apenas se projetar ou usar a entidade como balcão de negócios fazem de tudo para lidera-la.


Nunca me esqueço de quando estava almoçando com dois amigos em 2005 falando exatamente sobre isso quando recebi uma ligação da diretoria da ADEMI/AL me convidando para ser presidente da entidade. Nunca vi uma coincidência tão grande. Relutei bastante antes de aceitar, mas me ajudou o fato de eu estar saindo da minha empresa à época e com tempo disponível.


O resumo desse ponto é que só devemos dar poder para que não o quer.


Outro grande segredo da liderança é que a chave de tudo é a doação, dar sem esperar nada em troca. Não só em entidades, mas em tudo na vida, esse é o caminho número um para qualquer pessoa se tornar um líder. Por isso que sou enfático ao afirmar que qualquer pessoa pode ser tornar um líder. A pessoa não precisa ser um ótimo orador, nem extrovertido. O que realmente ela precisa é ser um doador e ajudar às pessoas sem pedir nada em troca.


Eu confesso que nunca consegui entender como eu tinha me tornado um líder até essa ficha cair. Eu sou introvertido e não tenho vida social. Tinha medo e não sabia falar em público. Todos imaginamos os líderes como sendo carismáticos e forças da natureza, cheios de energia, mas quem já leu Jim Collins sabe que os melhores líderes são aqueles que não se preocupam cosigo próprio e não gostam de aparecer. Eles não se levam muito a sério e subestimam suas capacidades. Eles não possuem agenda própria. A agenda deles é a da organização que ele representa.


O cargo que eu ocupava me dava muito destaque. Para vocês terem idéia nós tínhamos assessoria de comunicação e matchmaking em Londres, Nova York, Madrid, Lisboa e São Paulo. Mas eu nunca tomava a iniciativa de aparecer na mídia. Não acordava de manhã pensando nisso. Meu foco era fazer as coisas acontecerem. Atitude muito diferente de um Presidente Executivo que contratamos e que passava o dia todo pensando apenas na sua imagem e promoção. Claro que durou pouco.


Outro ponto é o sacrifício. Poucas pessoas estão dispostas a se sacrificar pelos outros. Por isso, quem se sacrifica ganha o respeito e a liderança dos demais.


Não pensar em interesse próprio e nem usar o cargo para fazer negócios são poderosas armas para adquirir respeito, confiança e liderança. Mas as tentações são tantas que muitos não conseguem resistir. Eu tenho muito orgulho de nunca ter usado a entidade em meu benefício e isso é reconhecido por todos.


Nunca me esqueço quanto eu participei de uma reunião em Lisboa com um dos maiores empresários da hotelaria portuguesa junto com uma grande amiga, então Secretária de Turismo de uma capital nordestina. No caminho para o encontro eu mostrei para ela um projeto que eu estava desenvolvendo. Durante o encontro ficou claro que o empresário teria todo o perfil para ser investidor nesse meu negócio. A minha amiga me cutucava, chutava minha perna, me olhava me perguntando com os olhos se eu não ia apresentar o projeto. Não apresentei.


Ao sair ela a me questionou porque eu não tinha mostrado o projeto se ele tinha o perfil exato que eu estava procurando. Expliquei que eu ali estava representando a ADIT e não poderia misturar as coisas. Ingenuidade minha? Talvez sim, talvez não. O fato é que desde então já presenciei ela dando depoimento sobre isso para inúmeras pessoas.


Tenho convicção que esse tipo de postura ajudou a construir a confiança das pessoas e certamente me gerou muitos benefícios adicionais, inclusive muitos negócios.


Um outro ponto que aprendi ser fundamental para liderar líderes é não ser uma ameaça aos seus interesses. Nesse aspecto, ser um pequeno empresário de Alagoas certamente me ajudou muito, pois nunca fui visto como concorrente ou ameaça aos meus colegas.


Uma coisa que todos os aspirantes a líderes devem ter consciência é que a inteligência realmente é importante, pois ninguém vai seguir alguém limitado e que não tenha a percepção das coisas. Mas a inteligência é apenas a qualificação de entrada. Quanto mais a pessoa cresce na vida, mais importante é a sua inteligência emocional e menos importante a sua inteligência e suas habilidades técnicas. Ter autoconhecimento, autocontrole, empatia, automotivação e habilidades sociais são a chave para quem quer crescer na vida e se tornar um líder.


Algo que sempre se destacou na nossa trajetória na ADIT e ajudou a consolidar uma posição de liderança, foi a capacidade de se antecipar às tendências de mercado e se adaptar rapidamente. De um lado, uma certa visão além da curva para enxergar o que os outros não estavam enxergando. De outro lado, uma capacidade de identificar temas e bandeiras que estavam à deriva, sem representatividade.


Foi assim que assumimos a liderança na captação de investimentos imobiliários e turísticos, no segmento de comunidades planejadas, nos setores de timeshare e multipropriedade e no direito imobiliário. Conseguimos enxergar que eram segmentos com muito potencial e que não estavam sendo representados por ninguém no Brasil.


Outra característica pessoal minha que ajudou bastante na consolidação da liderança foi a capacidade de ser leve e usar o humor como estratégia de gestão. Todos que conviveram comigo sabem que fico o tempo todo somente esperando surgir a oportunidade de fazer uma piada. Até curso de Stand Up Comedy eu já cheguei a fazer. Como o exemplo vem de cima, a ADIT acabou tendo esse DNA e todos sempre falavam como o clima na ADIT era diferente das demais entidades nacionais, muito menos formal e alegre.


Se não buscar o poder já dá muita alavancagem quando se está em uma posição de liderança, uma outra questão fundamental é que a pessoa deve sempre estar em uma posição de dizer: “Eu não preciso disso, eu não quero, eu não pedi por isso. ” Isso é muito poderoso para consolidar qualquer posição de liderança.


Um forte conselho que eu sempre dou e que serve tanto para consolidação de uma posição de liderança quanto para todos as outras situações, em especial aquelas de potencial conflito e com negociações tensas, é nunca a pessoa subestimar a inteligência dos outros. Nada de vir com papo furado e colocar coisas que as pessoas percebem claramente que você está querendo enrola-las. Todo mundo é inteligente e percebe rapidamente. Isso erode totalmente a confiança e com isso a possibilidade de você ter influência sobre aquela pessoa.


Pode parecer óbvio, mas ser agregador é fundamental para exercer um papel de liderança. Isso funcionou muito bem comigo, mas é comum vermos “líderes” desagregando mais do que agregando. Isso pode até funcionar quando o objetivo é realmente liderar uma determinada facção na defesa de interesses específicos, mas de maneira geral construir pontes é uma forma muito mais eficiente de liderar do que destruí-las.


Por fim, fica a minha dica para formar grandes times. Na ADIT eu sempre tive grandes pessoas junto comigo. Boa parte deles criou asas e voou. Estão espalhados pelo Brasil e pelo mundo em posições de destaque. Eu tinha uma especial predileção por apostar e valorizar a prata da casa e mostrar ao mundo o grande talento que existe em Alagoas e em todas as cidades menores e afastadas dos grandes centros, e que precisam apenas de uma oportunidade para florescer. Acho que obtive sucesso nisso. Nos últimos anos da ADIT eu basicamente não ia mais na entidade. Gerenciava pelo Whats App e email, graças a um time de primeira que tinha a minha confiança e sabia exatamente o que tinha que ser feito. A eles o meu eterno reconhecimento e gratidão.





206 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

© 2020, Matx Academy | E-mail: marketing@matx.com.br