Como lidar com preocupações e resolver problemas?

Atualizado: Jun 22

Todos nós temos muitas preocupações e problemas. Infelizmente ninguém nos ensina uma maneira de lidar com eles na escola, na faculdade ou em casa.


A minha cota de problemas profissionais sempre foi MUITO alta, em especial nos últimos anos com a crise que se abateu sobre todos nós.


Daí que eu comecei a estudar o assunto específico de como devemos lidar com nossas preocupações e problemas. Óbvio que existem muitas maneiras e abordagens diferentes, algumas mais práticas e outras mais espirituais e emocionais.


Aqui nesse texto eu vou resumir para vocês alguns dos aprendizados que tive através de estudos e da prática.


A primeira lição que aprendi é que as coisas quase sempre acabam melhor do que a gente pensa. Criamos mil cenários negativos e sofremos de véspera somente para posteriormente verificarmos que nada daquilo se concretizou.


A segunda lição é que mesmo quando as coisas com as quais nos preocupamos acontecem nós conseguimos lidar com elas de uma maneira melhor do que imaginávamos. Quantos de nós já não olhou para um problema se aproximando e teve a certeza de que não teria força para encará-lo? Todos nós. Mas aqui estamos, tendo passado por eles e continuado com nossas vidas.

Uma grande técnica que aprendi, talvez a que eu mais use no dia a dia e que mais me traz paz de espírito nos momentos de tensão é me perguntar se aquilo estará me afetando daqui a um ano. Se não estiver me afetando, é apenas uma chateação e não perca seu sono ou seu humor. Se estiver me afetando daqui a um ano, aí sim é temos um problema.


Bem, em sendo realmente um problema, o próximo passo é avaliar se a nossa preocupação é produtiva ou improdutiva.


A preocupação produtiva é aquela que o ajuda a resolver problemas e conduz a uma ação que se pode realizar no momento.


Já a preocupação improdutiva é aquela que gera uma porção de “e se” que não conduz a qualquer ação prática concreta. Acho que todos nós já tivemos muitos momentos “e se”. E se acontecer isso? E se acontecer aquilo? Quem nunca ficou remoendo em torno de algum “e se”?


Mas você precisa saber como descobrir se sua preocupação é produtiva ou improdutiva. Ela será uma preocupação produtiva quando (a) é possível identificar um problema plausível e razoável, (b) é um problema sobre o qual você possa fazer algo a respeito imediatamente ou em breve e (c) é possível passar rapidamente da preocupação com o problema para a busca de soluções.


Agora se você quer identificar sinais de uma preocupação improdutiva, é bom ficar atento a esses:


· Preocupação com questões sem resposta.

· Preocupação com uma reação em cadeia de acontecimentos.

· Rejeitar solução por não ser perfeita.

· Pensar que deve preocupar-se até sentir-se menos ansioso.

· Pensar que deve preocupar-se até controlar tudo


Um exemplo de uma preocupação produtiva é se em uma viagem de carro o seu pneu furar. Você pode fazer algo a respeito calibrando o pneu, checando as ferramentas e o pneu reserva antes da viagem, além de dirigir com atenção e em baixa velocidade. Já um exemplo de preocupação improdutiva é o medo do avião em que você vai viajar cair. Simplesmente não tem nada que você possa fazer a respeito.


Com tudo isso em mente, chegou na hora de relaxar, nos casos de chateação ou de preocupação improdutiva, ou de colocar mãos à obra, no caso de uma preocupação produtiva.


A principal regra, mãe de todas as outras, é passar a focar na solução e não no problema. Comece a se perguntar “Com eu posso resolver isso? Qual é a solução para aquilo? ”.


Tão importante quanto a primeira regra é deixar de procrastinar e enfrentar o problema de frente, por mais desconfortável que possa ser para você.


Outra dica é pensar: “Há algo que eu possa fazer neste momento? ”, pois isso passará o foco de um futuro distante para o presente.


Por fim, aplique aqui também a dica de produtividade de dividir um objetivo no maior número possível de ações e comece a realiza-las.


Esses passos canalizarão energia para a resolução do problema, fará você sair da areia movediça onde você estava preso e os primeiros sucessos retroalimentarão seu ânimo e motivação fazendo com que fique muito mais fácil e natural superar a adversidade.




70 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

ADIT: reinvenção

A partir de 2011 e 2012 a ADIT iniciou definitivamente uma nova fase. Mais do que se adaptar, foi preciso se reinventar. O mundo que tinha gerado a ADIT tinha deixado de existir. O mercado internacion

© 2020, Matx Academy | E-mail: marketing@matx.com.br